Love me two times…

I’m going away!!!!

No dia 30 de outubro começou, na minha mente e no meu coração, a minha despedida da vida que eu levava no Brasil e das possibilidades que eu deixaria pra trás também. Uns dias antes, a staff responsável pelo programa do fellow tinha sugerido que eu mandasse o meu CV pra ela avaliar e discutir com o restante da equipe. Passou uma looonga semana até que ela estivesse no hospital de novo, e ouvir o veredito foi uma cena digna de filme! Sem entrar em detalhes sórdidos, o paciente era moinnnto grave e eu peguei junto, ajudei em tudo que podia. Lá pelas tantas, lembro que pensei “puts, ela não falou nada até agora, tá me olhando meio de canto, o pessoal deve ter dito não e ela tá com vergonha de me dizer o temido I’m sorry darling, maybe next time”… Eis que lá pela terceira hora de cirurgia, estava eu pendurando um bicarbonato (sim, amigos da área, era essa a vibe) e ela parou do meu lado e disse: “Oh! By the way! My colleagues and I are happy for you to stay, the job is yours!”. E eu “O QUE???? Did you say are or aren’t?” hahahahaha fiquei catatonica por uns minutos, daí a coisa na cirurgia esquentou de novo e umas duas horas depois é que fui ter a chance de confirmar com ela que era isso mesmo, e aí ela já disse que eu podia me planejar pra estar em Londres dia 02/03/2015!

Nesse dia saí com os olhos marejados de felicidade andando pelas ruas de Marylebone, meio sem acreditar ainda. Foi um negócio muito O Alquimista mesmo, de “quando você quer muito uma coisa, o universo conspira para que você consiga” sabe?!

IMG_1256

Ao mesmo tempo, não tinha assinado contrato nenhum, eram promessas verbais, então eu tinha muito medo de tudo cair por terra, aí contei só pras pessoas mais mais próximas e deixei quieto. Só fui contar pra todo mundo quando vi meu nome na escala de 2015! Heheheh… E confesso que antes ainda tenho medo de acordar do sonho, hahahahaha.

Aí em janeiro começou a função de rever todos os meus pertences e decidir o que iria comigo, o que ficaria guardado na casa dos meus pais e o que seria doado. Cara, que experiência legal! Ficaram algumas coisas por rever ainda, mas foi um exercício de desapego sensacional! Honestidade brutal: usei isso no último ano? Existe, realisticamente, alguma possibilidade de usar por lá? Não? Então que fique pra alguém que vá fazer melhor uso!

E aí foi chegando a parte mais difícil… No final de janeiro, com a ida do Alex, nos despedimos de uns amigos e do nosso amado Café del Sur. Bah que saudade que vai dar do nosso equivalente brasileiro do local pub dos ingleses! Sabe aquela sensação gostosa de camaradagem, que as atendentes, o chef, a gerente todos conhecem a gente pelo nome, sabem o que a gente vai pedir, sabem como a gente gosta dos pedidos, enfim… 

IMG_9124

IMG_1538

Depois tive a sorte de matar dois coelhos com uma cajadada só no Paraná. Fui primeiro pra Curitiba, pro casamento da Lu, que aliás foi lindíssimo e uma baita festa, matei as saudades dos amigos de infância, ri horrores e fiquei na maior nostalgia da adolescência em Caçador! Depois fui pra Ponta Grossa pra matar as saudades e me despedir do vô e dos tios que moram lá. Muita comidinha caseira, muito sossego, muito churrasco e a melhor linguicinha do sul do mundo! Hahahahah…

IMG_1602

IMG_1607 IMG_1611 IMG_1613

E fevereiro foi uma loucura bizarra! TCC, formatura da residência, uns estresses desnecessários na residência mas que no fim se resolveram da melhor maneira possível, um plantão de sexta de carnaval, um feriadão perfeeeeeeito em casa só curtindo a família, e depois uma série interminável de despedidas todo dia!!

IMG_1682 IMG_1683

IMG_1697

IMG_9126 IMG_9127 IMG_9138
IMG_9221

Aproveitei e matei saudades por antecipação de tudo que sei que vou sentir falta! O churrasco do pai, o fricassê da mãe, palmito, pão de queijo, salgado do Feito da Fruta, hamburger do Madero, doce de leite… enfim, uma orgia gastronômica 🙂 hahaha

IMG_9319 IMG_9231

IMG_1754

Aproveitei pra colocar a conversa em dia com o Andrea, meu ex professor de italiano, porque estávamos naquela de “vamos marcar” há um tempão! E tive a grata surpresa de que ele tá se mudando pra Alemanha com a esposa e a filhota, então a chance de o próximo “vamos marcar” sair mais cedo é maior!

IMG_1698Nosso último dia na residência foi muito legal, trabalhei com um staff que adoro e respeito muito, almoçamos juntos todos os R3, depois fizemos a maior festa com direito a torta de 4 leites da dona Dina e fotos no corredor do CC… Limpar meu armário foi bem triste, eu adoro aquele hospital, adoro o clima do CC, adoro os funcionários, mas o que mais me deixou feliz foi relembrar que todos os capítulos que fechei até hoje, eu fechei com um pouquinho de dor no coração. Porque mesmo nos casos em que do trabalho em si eu não fosse ter saudade (oi, Biguaçu, é com você que eu tô falando!), eu sempre tive muita sorte de encontrar gente do bem por onde eu andei! Vou morrer de saudade de muita gente!

IMG_1714 IMG_1748

Aí quando pensei em fazer uma festa de despedida, não tinha outro lugar né. Tinha que ser no John Bull!!! Combinei com as gurias desde janeiro a data e não cabia em mim de felicidade que a Ju, a Mel e a Lutty vieram! E veio muito mais gente que mora no meu coração, fiquei surrealmente lisonjeada mesmo. Fiquei bebum de felicidade mais até do que de caipirinha, hahahahaha.

IMG_1759 IMG_1761 IMG_1768 IMG_1770 IMG_1779 IMG_1783 IMG_1784 IMG_1789 IMG_1794

E a parte mais difícil da parte mais difícil era obviamente me despedir do pai, da mãe e do Rodrigo né. Mas passei os últimos dois meses ouvindo de todo mundo “e aí? E a tua família? E os teus pais?”…

IMG_9352 IMG_1814 IMG_1825

Claro que dói, claro que é triste, claro que a gente gostaria de passar mais tempo junto de quem a gente ama. Mas o Rodrigo e eu temos a sorte de ter pais que nos criaram pro mundo, pra voar do ninho, pra ganhar o mundo. E não tem nada que me deixe mais feliz e mais agradecida nessa vida! Sempre digo pros meus pais que eles me deram o mundo de presente, que me criaram acreditando que eu podia ser/fazer/criar o que quisesse. E isso sim pra mim é a maior prova de amor do mundo! E sempre que me perguntavam isso, eu respondia com um sorrisão de orelha a orelha que estavam com o coração na mão como eu, mas que estavam felicíssimos porque isso era um sonho meu há tanto tempo!

Anúncios

And then while I’m away…

…I’ll write home every day, and I’ll send all my loving to you 🙂

Bom, resolvi criar esse blog pra dividir com a família e os amigos um pouco mais do meu dia a dia nessa nova empreitada que é a minha nova vida em Londres

Quando eu saí do Brasil pela primeira vez, em 2008, na viagem que mudou minha vida e meus horizontes, eu fiz um bloguinho pra relatar como era meu cotidiano na Áustria. Por várias razões, acabei parando de postar, o que é uma pena mór, porque até hoje adoro reler os posts e rir de como eu pensava e como via as coisas na época, o que se passava na minha cabeça 6 anos atrás! Olha que demais:

“Mas tá, eu entrei no lugar já adorando pq tava tocando Foo Fighters, Breakout. Cheguei 10 minutos depois da hora marcada (20:30) e eles tavam cantando parabéns!!! Gente pontual é outra coisa! O Mark, namorado da Marie, é um ingles, como era a imensa maioria dos frequentadores do pub. Aí, enquanto ela me apresentava ele e tals, aquela conversinha “ahhh vc é brasileira, etc etc”, o dono do bar, um gordinho engraCadissimo, grita pra todo mundo “everybody hold on to their whisky glasses ´cause I´m not washing any fucking glass til the end of the night”, e todo mundo aeeeee hahahaha engraCado demais, achei q esse tipo de pub só existia em filme. Todo mundo ali é amigo, e tinha mais dois caras comemorando o aniversário. Daí veio um bolo fofo demaaais, de chocolate com jogadorzinhos de futebol com a idade deles nas costas da camisa, bem legal. – Post sobre o dia em que conheci o Alex, no Murphy’s Law, pub irlandês em Salzburg

Então a intenção é essa, que seja uma coisa meio “querido diário” mesmo. Sei que existe Facebook, Instagram, Google Plus, Snapchat blablabla e uma imensidão de redes sociais que poderiam servir a esse propósito. Mas acontece que quem me conhece sabe que tenho uma tendência fooooorte a me perder por horas na internet, hahahahah #DDAH. Então como essa nova vida inclui o enorme desafio de lidar com vidas em um país diferente, em uma língua diferente, com infra-estrutura diferente e muitos monitores/técnicas que não são usadas no Brasil ainda, resolvi que prefiro me manter longe dessas tentações, pelo menos por enquanto!