Retrospectiva 2016: mês a mês

Apesar de saber que, na prática, a troca do ano ou de idade não mudam nada na vida da gente, eu sempre gostei de usar esses marcos como checkpoints da minha existência. Gosto de refletir sobre o que aconteceu naquele período, como eu mudei, no que melhorei, o que gostaria de ter feito e não fiz. De recalibrar minha bússola pessoal e repensar se a minha vida está alinhada com os meus valores. De recalcular a rota caso tenha me desviado de um dos meus grandes objetivos. E também de fugir um pouco daquela sensação de que o tempo está voando e eu não sei o que estou fazendo com o meu.

Em 2014, inspirada pelo post anual da Dri, que é sempre um dos meus preferidos e totalmente #goals, resolvi colocar essas reflexões no papel, mesmo não levando (ainda!) a vida tão cheia de viagens e descobertas que eu almejava e continuo almejando cada vez mais. E não é que a retrospectiva me surpreendeu? Pra quem vê de fora, pode até parecer meio doentia essa minha vontade de registrar tudo o tempo todo, tirar foto daqui, escrever post dali, mas aquilo me serviu de prova que não dá pra confiar na memória da gente. E olha que eu considero que tenho uma memória super boa. Incrível o tanto de coisa que eu estava me esquecendo, e o tanto que compilar tudo aquilo me fez mais grata sobre o ano que tinha passado. Então resolvi que iria fazer uma retrospectiva pessoal todo ano.

Só que aí 2016 chegou na voadeira com todas as trepidações que contei aqui e que,  combinadas com muito trabalho, inviabilizaram os meus rituais nerds de início do ano. Quem sabe uma hora dessas ainda me animo a revisar 2015 que foi um ano tão crucial e de tantas mudanças na minha vida. Mas o importante é que 2017 começou menos corrido, e como isso é uma prioridade pra mim, quis registrar meu 2016 mês a mês.

Janeiro: Apesar dos pesares, a minha virada de 2015-2016 foi tão boa quanto poderia ter sido. A família da minha cunhada é maravilhosa, aquela coisa bem francesa de cidade pequena, aquela alegria de viver, simplicidade e honestidade de propósito que inspiram a gente, sabe? Não me faltou foie gras, magret de canard nem champagne. E nem meia noite: tive três! Uma lá na França, outra no horário do UK, com o Alex no telefone, e outra no horário do Brasil, com meus pais no Skype.

Uns dias depois, a Luiza publicou no Formei, e agora? o post que ela tinha me convidado a escrever sobre a minha relação com a minha profissão e como conciliei o sonho de morar aqui a uma profissão relativamente restritiva geograficamente, e o negócio viralizou de um jeito que eu jamais teria imaginado.

Screen Shot 2016-01-06 at 3.50.02 PM

Ainda em janeiro, emendei uns dias de dolce far niente com o Alex na casa do meu sogro na Alemanha…

… com mais um fim de semana na Occitânia, com o Rodrigo, Lu e família.

Fevereiro: Tive a maior sorte que a defesa da tese de doutorado do Alex e a formatura do meu irmão caíram em datas próximas o suficiente pra eu poder estar no Brasil para os dois eventos! Cheguei, curti meus rituais de retorno de sempre, o barzinho do lado de casa com o Alex, o por do sol em Santo Antonio, a massagem de pedras quentes no Shambala Spa, e corri pra Caçador pra curtir meus pais e a casa antes de todo mundo chegar. Voltamos pra Floripa juntos, e o Rodrigo e a Lu chegaram em seguida.

img_0510img_0539img_0598

Nesse meio tempo, teve a apresentação da tese do Alex, que foi sucesso total e elogiadíssima por toda a banca. É muito gostoso ver o tanto que o pessoal respeita e venera ele no departamento! No mesmo dia, jantamos fora com o orientador dele, que é um mestre no verdadeiro sentido da palavra, e falamos sobre planos futuros. Voltamos pra casa comentando sobre a nossa sorte em termos ambos encontrado inspirações tão importantes nas nossas profissões.

img_0645

Foi também a primeira visita da irmã e cunhado do Alex ao Brasil, e depois que eles chegaram, foi só festa. Fomos pra Ilha do Campeche, passeamos por Floripa, fomos pra Caçador de novo, passamos o aniversário do Alex na Serra Catarinense, em Urubici, e voltamos pra Floripa pela Serra do Rio do Rastro. Foram embora conhecendo mais de Santa Catarina do que muito catarinense por aí! Hahahah

 

img_0807img_0817img_029120160229_120510img_0237

Março: O mês começou no Brasil, com a formatura do Rodrigo, que foi super emocionante. Formaturas são muito, muito valorizadas na nossa família por tudo que representam, e todo mundo vai, então é uma delícia ver a família toda (enorme) reunida!

p1030773p1030785project_20160404g0476

Abril: Em abril a coisa já estava começando a pegar com várias incertezas na minha vida pessoal e profissional, então o que eu mais me lembro foi de muito trabalho, muitos plantões, muitas corridas pra manter a sanidade mental, e encontros muito necessários com várias amigas queridas.

img_1911

Maio: O acontecimento mais marcante de maio foi a viagem pra Eslovênia! Acho que nunca antes nenhuma viagem tinha superado tanto as minhas expectativas! Sabia que seria legal, sabia que iria gostar, mas demos tanta sorte com o tempo e todas as escolhas que fizemos lá, que voltei pra cá com o coração cheio de gratidão.

IMG_1933IMG_2228IMG_2281

Aliás, um dos momentos mais marcantes da minha vida viajante foi nesse vôo de volta. Sobrevoando os Alpes e olhando pela janelinha pensando na vida, fui invadida por uma onda totalmente inesperada de emoção e  me dei conta do porquê do meu amor por viajar, com a maior clareza que já tive até hoje:

Junho: O maior acontecimento de junho foram as listas de cirurgia com o MEU NOME como anestesista mór – num dos hospitais mais antigos, mais respeitados, mais famosos de Londres. Na prática, nada tão diferente assim do que já vinha fazendo, afinal os chefes que me conheciam já estavam me deixando no comando há bastante tempo, mas nada como sentir o peso da responsabilidade pra fazer tudo parecer mais real, certo? Além disso, apresentei um projeto na reunião do departamento que, apesar de pequeno, simbolizou muita coisa pra mim.

E finalizei o mês curtindo uns dias de preguiça na casa da minha sogra.

Julho: Julho foi o mês em que o Alex e eu decidimos tomar as rédeas das nossas vidas, e depois que decidimos que ele ficaria no Brasil, desencadeamos mil decisões produtivas. Marcamos nossa viagem pro casamento do melhor amigo dele, eu fiz uma revolução organizacional no meu quarto, encontrei com meu mentor e defini meu plano profissional, curti várias festinhas de verão e rooftops e piqueniques e as costumeiras noites de sexta papeando e bebendo prosecco com a Paola, e o mês foi de renovação de esperanças de maneira geral.

Já no fim do mês, aproveitei uma oportunidade de última hora de passar um fim de semana veranil com a Marina e o Murilo em Paris, que foi com certeza um dos pontos altos do ano!!!

E pra completar esse mês tão intenso, passei o último dia de julho no campo de lavanda da fazenda Mayfield, no sul de Londres, com amigos queridos.

Agosto: Pra ser bem sincera, agosto é simplesmente um borrão de trabalho na minha mente! Mudei de coluna na escala a pedido do chefe, e o resultado foi que dentro de 5 semanas, fiz 4 rodadas de plantão. Pra completar, uns colegas ficaram doentes e acabei cobrindo uns plantões extras, pra terminar de aniquilar minha qualidade do sono, hahahah. Não lembro de muita coisa além disso.

Uma delas foi a comemoração do aniversário da Linda, quando nós duas fomos brincar de escalada na Arch Climbing Wall, aqui perto de casa, e depois bebemos um vinho no pub. O mais legal é que, como esse ano ela participou de uns projetos mais longos aqui em Londres, nós acabamos nos encontrando só nós duas, que nunca tinha acontecido antes – e como resultado, além de minha cunhada, hoje a considero minha amiga mesmo. Somos bem parecidas em vários quesitos, então a conversa rende que é uma beleza!

A última semana foi o ponto alto: a chegada do Alex!!! Depois de quase 6 meses sem nos vermos, aquela felicidade de aeroporto de novo, e acho que um dos momentos mais felizes do ano foi nosso jantar num bistrozinho francês aqui perto de casa no dia que ele chegou.

img_5976

Terminamos o mês do jeito que gente gosta: viajando. Juntos. A caminho da Itália, país que ambos somos apaixonados e não cansamos nunca de visitar!

SetembroMeu mês preferido do ano começou com o pé direito!!! Curtindo um dolce far niente com o Alex nos arredores de Catania, na Sicília, curtindo o ar fresco e um vinhozinho, e subindo um vulcão ativo!!! Na verdade o Etna é um vulcão bem benevolente, mas mesmo assim sentir o calorzinho da energia geotérmica na minha mão foi mais um daqueles momentos surreais da vida, em que a gente se dá conta da nossa própria insignificância diante do que está ali há milhares de anos!

O casamento do Paul e da Grazia foi sensacional!!! Eu ainda quero muito sentar e escrever um post com mais detalhes, mas vou simplificar e dizer que -com todo respeito a todos os outros casamentos que já fui na vida- esse foi o melhor da história!

E nos dias antes e depois do casamento, ainda curtimos um restinho do verão Mediterrâneo em Siracusa.

 

Passar mais tempo com os amigos do Alex foi ótimo também – uns dias nos sentindo como um casal normal eram tudo que a gente queria.

O meio de setembro, mais uma vez, foi um borrão de trabalho, porque mais uma vez cobri vários plantões extra, pela última vez antes da troca de emprego e burocracias associadas. Na penúltima semana, ainda apresentei mais uma palestrinha numa tarde de estudos, e encerrei minhas responsabilidades por lá.

E no fim do mês, teve mais viagem: dessa vez pra Budapeste, com a Paolex, pra comemorar meu aniver de 29 anos em grande estilo!!! AMEI Budapeste e não poderia ter escolhido melhor: passamos 3 dias lá só curtindo muitos spas, muitas massagens, muito vinho húngaro e as vistas maravilhosas da cidade. Na virada do meu aniver, fomos ao bar mais autêntico que já fui na vida, e depois passamos o dia de molho no Gellert spa antes de seguir pra um rooftop pra brindar os meus 29 anos com a vista da cidade ao por do sol.

img_8241

Outubro: Logo no começo do mês, decidi encarar logo de uma vez a prova que eu iria fazer em março de 2017, o que significou colocar em standby todo esse oba-oba e enfiar a cara nos livros! Criei minha nova rotina, com o emprego novo e mais tempo livre pra estudar, e meu mês praticamente se resumiu a isso.

img_8763

Novembro: O mês começou com uma visitinha esperta à Queen’s Gallery que foi sem dúvida uma das experiências mais marcantes do ano. Logo em seguida, veio a famigerada prova, e logo em seguida precisei me plantar na frente do laptop até encerrar meu projeto de certificação em eco, que submeti exatamente no último dia do mês – e depois fui pra galeeeera beber um prosequinho com vista da cidade com a Paola e o Roni, minha familinha londrina.

Dezembro: Mais um daqueles eventos em que ozamigos ingleses, blasé que são, fingem costume enquanto eu fico totalmente deslumbrada, morrendo de felicidade e orgulho por estar ali bebericando meu champagne por ande andou a Rainha Vitória.

Aproveitei pra descansar um pouquinho na casa da sogra…

E me mandei pro Brasil!

A primeira semana foi um pula-pula: passei uns dias com o Alex só curtindo nós dois, depois fui pro Paraná visitar meu vô, depois voltei pra Floripa e encontrei em cima da mesa pra me surpreender uma passagem só de ida pra Londres de um certo Englishman, e depois fui encontrar minhas amigas no Rio pra uma viagenzinha de comemoração de muitas coisas: mini-despedida de solteira da Lutty, aniver da Mel, 6 anos da nossa formatura, reunião do quarteto que estamos sempre mortas de saudade, e primeira viagem só nós 4 desde a faculdade!

Quando as meninas foram embora, o Alex foi pro Rio me encontrar pra curtirmos 2 dias por lá, já que em todos esses anos, tínhamos ido ao Rio várias vezes cada um, mas nunca juntos!

Voltando pra Floripa, passei o resto do ano curtindo a família exatamente do jeito que eu queria: sem mil atividades, sem horários, sem stress, bem como sempre foram as nossas férias em Jurerê!

Nossa virada foi bem pacata, em casa, na chuva, porque no dia seguinte logo de manhã eu tinha que estar no aeroporto e achamos que enfrentar os engarrafamentos perrenguentos de Floripa no Reveillon pra passar duas horas em qualquer lugar não valia a pena. E no fim das contas foi uma ótima decisão, porque antes da 1 da manhã eu já tava capotada na cama!

O que eu já sei sobre 2017

Esse é um ano engraçado porque, com o retorno do Alex pra Londres e com a minha vida profissional basicamente dependendo do meu sucesso ou não nas provas, nem sequer sabemos como estarão nossas rotinas na maior parte do ano. Então minha nóia de querer planejar tudo está em semi-suspensão!

Janeiro vai ser um mês pacato necessariamente, porque tenho mais uma prova no fim do mês, que aliás não vou nem falar nada… Mas logo depois da prova, me mando pra um bate e volta de fim de semana em Milão, e uma amiga que mora na Alemanha vai pra lá me encontrar.

Fevereiro vai ser cheio de emoções!!! Já na segunda semana o Alex chega, vamos pra Dorset deixar as mil bagagens que ele acumulou em 5 anos morando no Brasil, curtir uns dias de sossego juntos e saborear a felicidade de estarmos -finalmente!- reunidos. Uns dias depois, vou pra Lisboa com a Mah, curtir bem a companhia da minha amiga numa girls’ trip pré-chegada dos gêmeos!

Entre o fim de fevereiro e começo de março, estarei na Bavária, onde eu e o Alex vamos passar uns dias na casa do meu sogro.

Abril tem Brasil de novo e dessa vez vou ficar quase o tempo todo na casa dos meus pais, só curtindo a companhia deles! A razão da viagem ser agora, tão cedo depois de ter passado o fim de ano lá, é o casamento da Lutty no oeste do Paraná – e vou aproveitar a deixa pra voltar a Foz do Iguaçu e ver as cataratas mais uma vez, dessa vez com a Ju, porque eu é que não ia perder uma oportunidade dessas!

E para o restante do ano, os únicos planos concretos são o grande acontecimento de agosto, que vai ser o casamento da minha cunhada no norte da Inglaterra, e o grande acontecimento de setembro que são os meus 30 anos Brasilllll!!!! Que quero comemorar em grande estilo e em algum lugar novo, e até já tive umas idéias mas não comecei a planejar nada concreto ainda.

Também em algum momento do segundo semestre os meus pais devem vir pra cá e/ou pra França, e a Ju também virá nos visitar entre setembro e outubro. E por enquanto é isso!!!

Anúncios

6 respostas em “Retrospectiva 2016: mês a mês

  1. Gabi, que legal ver você fazendo sua retrospectiva! Também acompanho a da Dri há algum tempo e quando leio, sempre me inspiro a fazer a minha própria, mesmo que seja só para mim, sem escrever ou publicar em algum lugar, sabe? É meio que um momento de reflexão “maior” do que os demais! Rsrs…
    É tão bom saber que conquistamos algumas coisas, por mais perrengues que tenhamos passado, né?! Dá aquela sensação que algo fizemos certo!!!
    Que 2017 seja cheio de novas conquistas e oportunidades!! Assim como vc tb é meu ano dos “30”…rsrs… então a vontade que seja incrível é ainda maior!! 😄

    Curtir

    • Sim, foi exatamente assim que começou pra mim! Agora tenho esse espaço pra publicar, mas a de 2014 tá guardadinha em PDF no meu HD externo. Acho um exercício excelente de gratidão e para guardar as memórias no futuro. Quando escrevo essas coisas, fico me imaginando velhinha, relendo tudo isso, sabe?
      Que legal que vc também faz 30 esse ano! Que seja um ano maravilhoso pra nós!!!

      Curtir

  2. Gabi, amo retrospectivas e também adoro registrar as coisas – não à toa tenho um blog também. Mas mesmo antes de ter blog, eu já escrevia essas coisas nas minhas agendas e amava reler tudo anos depois, ver o quanto evoluí, o quanto as coisas foram melhorando. Acho que é um bom exercício pra vida, ainda que não se tenha vivido grandes aventuras, não é mesmo? Adorei ver a sua por aqui – como te acompanho há um tempinho, foi legal ir relembrando das coisas junto com você (por favor, não me ache creepy por causa disso! rs). Beijos e feliz 2017!

    Curtir

    • Hahahaha guria, eu nunca acho creepy- também tenho boa memória e lembro até de detalhes de quem eu acompanho! Ai fico naquelas “cara, não sou stalker não, só tenho boa memória mesmo!”
      Beijos e feliz 2017 pra você também!! 💪🏻

      Curtir

  3. Obvio que eu amo cada post seu. Foi muito bom ver essa restrospectiva e perceber que acompanhei teu ano todinho hehehe Ei gabi, vc conheceu o alex no brasil mesmo? Quero saber como ele veio parar aqui/como vcs se conheceram.. ele fala português? hehehe

    Curtir

    • Hehehe obrigada, Roberta!!
      Looonga história heheheh nos conhecemos na Austria, quando passei 2 meses fazendo estágio e ele estava morando lá. Depois ele mudou pro Brasil em 2011, e depois viemos juntos pro UK em 2015! Ele fala português fluente sim ❤️

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s