Hotel em Londres?

Geralmente quando as pessoas me pedem dicas turísticas de Londres, eu encaminho direto pros blogs da Dri e da Helô, afinal de contas não tem porque tentar reinventar a roda quando as meninas já escreveram tudo e mais um pouco sobre a cidade, e inclusive escreveram os melhores guias de Londres disponíveis em língua portuguesa. Aqui você pode comprar o guia da Helô, e aqui o guia da Dri, ambos disponíveis em versão impressa e PDF, e escritos por quem conhece a cidade como ninguém e já esteve pessoalmente nos lugares recomendados!

Ou ainda, para O Oráculo do viajante independente brasileiro.

Mas lá de vez em quando alguém mais próximo me pergunta porque quer saber a minha opinião pessoal. Uns dias atrás, uma amiga me pediu onde procurar hotel em Londres… Pensei, pensei, pensei e respondi que ia pensar mais um pouco. Hahahah o problema de quem mora em um determinado lugar é aquele velho paradoxo: a pessoa conhece a cidade como ninguém, mas se ela mora lá, ela provavelmente nunca terá se hospedado em hotel nenhum, certo?!

Não me sinto à vontade pra dizer “procura nos bairros X, Y e Z que é batata!”. A hospedagem pode fazer ou arruinar uma viagem, então depois de muito refletir, vim aqui registrar minha opinião, porque é bem provável que outros amigos façam a mesma pergunta no futuro.

Eu, Gabriela, reservo praticamente todas as minhas hospedagens de viagem no Booking.com e modéstia à parte, a essa altura do campeonato, sou fera na manipulação dos filtros. Se fosse um hotel para mim, pensando em explorar Londres turisticamente pela primeira vez, eu faria essa pesquisa AQUI:

screen-shot-2017-02-01-at-19-39-13

É uma pesquisa beeem restritiva, mas eu pessoalmente prefiro priorizar quase que exclusivamente a localização. Gosto de fazer tudo a pé, de estar no meio de tudo, e não me importo muito com a beleza ou os serviços do hotel. Cabendo no meu bolso, sendo bem localizado e minimamente limpo, tô topando. Geralmente começo limitando os preços, e marco somente os hotéis com nota acima de 8.0 (classificados como very good ou melhor).

Londres facilita porque o circuitão turístico principal, que inclui o South Bank e todas as suas atrações, o Parlamento, o Palácio de Buckingham, Trafalgar Square/National Gallery, British Museum, estão todos dentro dessa demarcação aí em cima. Uma ferramenta nova e excelente do Booking.com é o heat map, que mostra as áreas de interesse turístico nas cidades pra você ver se o seu hotel é bem localizado:

screen-shot-2017-02-01-at-19-39-29

E eu adoro andar bastante quando viajo, então pra mim, hotéis resultantes dessa pesquisa permitiriam que uns 70% da minha viagem fossem feitos a pé. Ainda assim, eu procuraria o mais próximo possível de uma estação de metrô principal (aquelas que têm mais de uma linha).

Caso não encontrasse nenhum nessa área, expandiria a pesquisa para incluir as regiões de Bayswater/Queensway, ao norte do Hyde Park, que é um super hub de hotéis, a região de South Kensington/Knightsbridge, por perto dos museus de História Natural e V&A, e o entorno da St.Paul’s Cathedral. Outra área que tem muitos hotéis de preço bom pipocando é no lado norte do rio, entre Monument e Tower Hill, onde você fica de cara pra Tower Bridge e pertinho de St.Katharine’s Docks.

Por que não incluiria essas áreas de cara? Porque apesar de ainda serem ótimas áreas, já são afastadas o suficiente para te obrigar a depender muito mais do metrô. E tudo bem depender do metrô numa cidade em que ele funciona tão bem quanto Londres, mas o ideal mesmo na minha opinião é passar o máximo de tempo possível acima da terra, hehehe. Além disso, tanto o entorno da St.Paul’s quanto essa parte norte do rio até Tower Bridge são super movimentados e vivos de dia, mas meio desertos à noite e nos fins de semana, que apesar de ser super seguro, pode parecer meio deprê pra quem gosta de agito.

O mesmo vale para Notting Hill, que é uma área lindinha demais, mas meio afastadona do centro turístico da cidade. Melhor ir pra lá pra curtir Portobello Road, tomar um brunch ou almoçar nas mil opções de Westbourne Grove, mas ficar cruzando todo o lado oeste da cidade, toda a extensão do Hyde Park em todos os seus dias na cidade vai te deixar de saco cheio e gastar tempo que, na minha opinião, poderia ser mais bem empregado.

E por que não incluir a área onde eu moro? Porque as imediações do South Bank na Tower Bridge e o hub de transporte de London Bridge são áreas excelentes pra morar mas, mais uma vez, meio isoladas pra turistar. A não ser que você esteja disposto a caminhar 5km simplesmente pra chegar no centrão marcado aí em cima, vai depender de metrô também.

Mas no fim das contas, apesar de toda essa lenga-lenga, acredito que qualquer lugar na zona 1 do metrô estará ok. Nenhum deles vai estragaaaar a sua viagem, mas esses que eu selecionei lá em cima podem facilitar bastante a vida.

screen-shot-2017-02-01-at-21-14-52

A amada e idolatrada zona 1 do metrô 🙂

Aí as diferenças ficam por conta de escolhas pessoais: se a pessoa vai chegar de metrô com malas pesadas e não quer passar perrengue em escadas, é importante ficar perto de estações com accessibilidade – aquelas que tem um A verdinho nesse mapa aqui:

screen-shot-2017-02-01-at-20-38-49

Ou por exemplo, se a pessoa gosta de hotéis mais bacanas em áreas mais bonitas e tradicionais da cidade, aconselharia evitar o South Bank que foi bombardeado loucamente na 2a guerra mundial, e focar nas regiões lindas de Marylebone, Mayfair, Westminster e até mesmo Victoria, Pimlico e imediações do Hyde Park.

Por outro lado, pra quem quer fervo: teatro, restaurantes, bares, baladas etc, a melhor aposta seria ficar entre Soho e Covent Garden, mas essa área apesar de ser super central e maravilhosa pra fazer tudo a pé, não é das mais bonitas de dia, e é relativamente barulhenta à noite.

Pra quem só volta pro hotel pra tomar banho e dormir e não faz questão de que o seu tenha muita personalidade, tem sempre os bons e velhos hotéis de rede, o Ibis e o Premier Inn tem várias unidades bem centrais.

Já pra quem tem um dinheirinho a mais ou está em Londres pra comemorar uma data especial, mas (ainda! Hehehe) não tem condições de ficar nos Ritz e Savoy da vida, tem os DoubleTree da bandeira Hilton e os Park Plaza, que são todos muito bem localizados, e uns degraus acima no quesito conforto, beleza, serviços etc.

Como eu falei, todo mundo fica meio perdido na hora de aconselhar amigos na procura de hotéis, mas a Helô tem uma seleção de recomendações no Booking.com e a Dri tem um guia de hotéis que explica o perfil de cada bairro. Esse post no Viaje na Viagem tem uma infinidade de hotéis comentados por leitores.

Talvez esse post tenha ficado confuso demais, afinal não tenho talento pra isso e sou prolixa demais hahaha mas de uma coisa não há dúvida: seja onde for que você fique no coração de Londres, você terá muuuuito pra explorar!

Anúncios